Elite Turismo
Versão em Francês
  • Brasil
  • França
  • Europa
Versão em Francês

Paris, você sonhando acordado, desfrute como nunca desfrutou

  • BLOG
    BLOG


POR QUE VERSALHES FAZ TANTO SUCESSO?

HISTÓRIA

O Palácio de Versalhes é um dos pontos turísticos mais visitados não só na França, mas na Europa. Por ser um monumento de dimensões físicas e históricas magníficas, com tamanha beleza e fama, há 30 anos foi classificado como Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO.

O local era o pavilhão de caça de Luís XIII e foi transformado em castelo e moradia pelo rei Luís XIV “Le Roi Soleil” (O Rei Sol), a grande obra de sua vida.

Cada um dos três reis franceses que ali reinou - Luís XIV, Luís XV e Luís XVI - realizou modificações e acréscimos diferentes ao grande palácio, até se tornar a fantástica construção que podemos admirar nos dias hoje.

O Palácio de Versalhes, símbolo de ostentação e riqueza, foi residência da monarquia de 1682 até 1789, época da Revolução Francesa. Nesse período, a cidade era considerada a capital da França.

O rei Luís XVI e sua esposa Maria Antonieta viviam no castelo com gastos excessivos, cercados de muito luxo, futilidades e protocolos. Esses excessos, aliados ao contexto histórico da época, culminaram na Revolução Francesa, que aconteceu pela revolta da população que vivia em extrema pobreza e era obrigada a pagar altos impostos para sustentar todo esse luxo da realeza. Durante a revolução, o palácio foi saqueado e muito destruído, as mobílias remanescentes foram vendidas e o rei Luís e sua esposa condenados à guilhotina.

Por volta de 1830, o palácio foi declarado Museu da História da França, por Louis-Philippe, que adicionou novas coleções de arte ao castelo. Ao longo do tempo, pouco a pouco o Palácio de Versalhes foi restaurado. Mas, somente em 1960 Pierre Verlet conseguiu trazer de volta alguns mobiliários reais para o local.

Atualmente a administração do castelo o conserva com suas características do período e, em visita, podemos entender como vivia a monarquia naquele tempo.

Para entender melhor os acontecimentos da época, você pode assistir ao filme “Maria Antonieta”, gravado no próprio palácio, o que já irá te proporcionar uma ambientação no cenário magnífico de Versalhes! O filme retrata a história de Maria Antonieta, interpretada por Kirsten Dunst, desde sua chegada à Versalhes ainda adolescente para se casar com o príncipe francês Luís XVI. Com duas horas de duração, este longa metragem retrata exatamente como era a vida na corte de Versalhes, suas rígidas regras de etiqueta, disputas familiares, fofocas e a busca pelo poder e pelo luxo. E, é claro, você já poderá conhecer um pouco mais sobre o castelo, os jardins e demais áreas do Palácio de Versalhes.


O QUE VER?

Os visitantes podem conhecer o palácio de Versalhes, seus parque e jardins, o Grand Trianon e o complexo ligado à rainha Maria Antonieta: o Petit Trianon, seus jardins e algumas casas campestres.

 

CASTELO

Considerado um dos maiores castelos do mundo, possui mais de 60 mil metros quadrados e é também uma das maiores realizações da arte francesa do século XVII.

Símbolo do absolutismo, o poder total que o rei possuía sobre a população e que todas as suas vontades deveriam ser atendidas e declaradas como “lei”, personifica o ego da realeza demonstrando como eles viviam em meio a excesso de luxo, riqueza e ostentação.

O palácio, possui obras de arte, detalhes em ouro no teto e paredes, lustres de cristal e pisos de mármore.

Ao iniciar o tour, o visitante vai pouco a pouco entrando em um conto de fadas, em cada um dos cômodos descobre uma parte da história da França, transportando-se para a época em que a realeza vivia no local. Os principais destaques durante a visita ao palácio são:

Os apartamentos do rei: um total de sete cômodos que eram utilizados para as atividades pessoais e de corte do soberano, tais como receber seus convidados, jogar bilhar, ouvir músicas, assistir saraus, vestir-se, dormir etc. Em um destes aposentos também pode-se verificar onde o trono ficava.

Os apartamentos da rainha: salas ricamente decoradas onde a rainha dormia, sendo inclusive algumas vezes acompanhada do rei e também onde se reunia com as damas da corte para conversar.

O quarto do rei: local onde o rei Luís XVI dormia e de onde eram realizadas as cerimônias de dormir e acordar, que consistiam na corte ter a permissão de assistir o rei acordar, levantar, vestir-se e também deitar-se no final do dia.

A Galeria dos Espelhos: Certamente o ponto alto da visita é a tão admirada sala que representa a grandeza do rei francês, com mais de 70 metros de comprimento, iluminada através de 17 amplas janelas, com cerca de 370 espelhos que refletem a luz do sol e a deslumbrante vista do jardim. O local também foi palco de um momento histórico: a assinatura do Tratado de Versalhes.

A visita ao castelo inclui também: a Capela Real, a Sala da Guerra, a Sala da Paz, a Galeria das Batalhas, A Galeria de História do Castelo, entre outros.

 

PARQUE E JARDINS

Além do palácio, você ficará encantado ao visitar o parque e os jardins de Versalhes! A beleza é tanta que Luís XIV considerava os jardins tão importantes quando o palácio e queria que eles impressionassem aos visitantes e estivessem à altura da majestosa construção e luxo do castelo. Por isso, ele não poupou esforços e principalmente recursos para a construção da obra de forma a satisfazer seus desejos.

O jardim estilo a la francesa possui cerca de 90 hectares e foi construído por André Le Notre. Ele trabalhou neste jardim de 1662 até a sua morte em 1700 e durante esse tempo foi auxiliado por Jean -Baptiste Colbert, Charles Le Brun e Jules Hardouin-Mansart.

O belo e distinto jardim fica dentro de um parque com aproximadamente 800 hectares, caracterizado por linhas retas, com simetria e formas geométricas minuciosamente talhadas. Organizados, demonstram o domínio do homem sobre a natureza.

Complementando a paisagem do jardim, temos espelhos d’água, lagos, fontes, labirintos, bosques e estátuas. E, como metáfora à figura do rei Luis XIV, o “Rei Sol”, encontramos a figura de Apolo, o Deus do Sol, em cada canto. Os principais destaques durante sua visita ao parque e aos jardins são:

- Le Orangerie: Um espaço dedicado para a exposição de mais de 1.000 árvores frutíferas em caixas, incluindo laranjeiras, limoeiros, entre outras. Algumas das espécies possuem mais de 200 anos de idade e são provenientes de Portugal, Espanha e Itália. No final do outono, elas são recolhidas e armazenadas dentro do castelo para serem preservadas.

- O Grande Canal: é um dos maiores projetos no jardim e levou 11 anos para ser construído e consiste em um espaço aquático em forma de cruz com mais de 1.600 metros de comprimento. No passado, ele foi utilizado para batalhas e desfiles navais. Além disso, a realeza também o utilizava para desfrutar de relaxantes passeios em gôndolas e, nos invernos, o canal era utilizado como pista de patinação. Atualmente, você pode alugar um barquinho para fazer um passeio por ele e apreciar ainda mais de perto sua beleza.

O parque começa depois do Grande Canal, sendo o lugar perfeito para relaxar, descansar, apreciar a natureza, fazer um lanchinho e acessar os Trianons.

Para conhecer os jardins, o parque e os Trianons, é possível alugar um pequeno carro elétrico ou pegar uma espécie de trenzinho circular que vai te deixando nos principais pontos do jardim - você pode subir e descer várias vezes durante o percurso ou fazer o caminho todo direto, sem parar. Também é possível alugar bicicletas no parque. E claro que também é possível preparar as pernas e fazer o todo passeio a pé, mas prepare-se, pois a caminhada é bem longa e cansativa!


GRAND TRIANON

Inspirado na arquitetura italiana, o palácio em mármore rosa foi construído para servir de segunda residência para o rei Luís XIV, o “Rei Sol”, para que ele pudesse fugir da pompa e das formalidades rígidas da corte e encontrar sua favorita – era comum que os reis tivessem várias amantes e assim era chamada a que ele preferia, no seu caso, a Madame de Montespan. Também é composto por um conjunto de jardins e lagos ornamentais. Futuramente o rei Luís XV e a rainha Maria Leszczynska instalaram-se no local.

Após a Revolução Francesa, o palácio caiu em decadência, tendo grande parte de seu acervo destruído ou dispersado. No entanto, durante o Primeiro Império, Napoleão Bonaparte solicitou sua restauração e decoração com novos móveis e obras de artes. Por isso, hoje, ao visita-lo você poderá admirar o acervo proveniente deste período.

 

DOMÍNIOS DE MARIA ANTONIETA

O local conhecido como os Domínios de Maria Antonieta é composto pelo Palácio Petit Trianon, os jardins da rainha e a réplica de uma pequena fazenda.

O palácio de estilo neoclássico foi na verdade construído para a favorita do rei Luís XV, a Madame de Pompadour. No entanto, quando o rei Luís XVI assume o trono no lugar de seu pai, ele presenteia Maria Antonieta, sua esposa, com a propriedade.

A rainha passava grande parte de seus dias lá com seus filhos e amigos - apesar do gesto não ser bem visto pela corte - com o intuito de desfrutar de uma vida simples rural, como uma pessoa comum, longe dos protocolos, etiquetas e pompas da vida na corte. Por isso, ninguém podia entrar lá sem o seu convite.

A pequena fazenda imita uma pequena aldeia com casas em estilo normando, hortas, árvores frutíferas, pequenos jardins, animais etc.

Você também encontrará um lindo jardim de estilo inglês – que estava na moda na época - com aparência de bosque, bem ao natural, preservando as características da própria natureza. Verá também o Templo do Amor, que era uma espécie de “coreto”. Ele foi construído em 1778 e era um dos lugares preferidos de Maria Antonieta, onde ela costumava realizar festas noturnas.

Ao conhecer o refúgio da rainha, você entenderá porque o local era tão amado por ela. Um grande contraste de todo o luxo e ostentação no palácio principal, mas certamente um cantinho encantador.

 

QUANDO IR?

O Palácio de Versalhes fica aberto o ano todo, de terça a domingo, só fecha para os feriados de 25 de dezembro, 1º de janeiro e 1º de maio. Ainda assim, nesses dias os jardins e o parque permanecem abertos.

O lugar é majestoso o ano todo, como você pode imaginar, mas cada estação traz certas particularidades para o ambiente. Então, vale a pena conhecê-las para decidir quando ir.

 

Primavera e Verão

Se a sua intenção é desfrutar mais da parte dos jardins, é aconselhável que você vá durante a primavera ou o verão. Na primavera, é claro, as flores estão no seu auge e tornam a vista ainda mais deslumbrante.

No verão, o tempo está bastante agradável para passear ao ar livre. Além disso, você pode aproveitar o Festival de Águas Mágicas, um belíssimo espetáculo com as fontes “dançando” ao som de música clássica, realizado em alguns dias específicos de maio até outubro*. Nos dias de espetáculo, o valor do ingresso custa 7 euros a mais para que você possa apreciá-lo.

Certamente o auge da programação de verão acontece aos sábados à noite nos meses de junho até setembro, com o Festival das Águas Mágicas Noturno. O espetáculo das fontes fica ainda mais belo com o cair da noite, acompanhado de uma incrível queima de fogos. Este show tem a venda de ingressos à parte, custando 24 euros. Nos dias em que este espetáculo acontece, os jardins fecham mais cedo. Por isso, se você for visitar o Palácio nestas datas, programe-se para conhecer os jardins antes do castelo, por garantia.

Lembre-se: é alta temporada em Versalhes e todas as áreas estão abertas para visitação mas, em consequência, o local fica repleto de turistas vindos de toda parte do mundo, por isso provavelmente pode haver um pouco de tumulto durante a sua visita. Se possível, evite as terças-feiras e finais de semana, já que são os dias em que o local recebe mais visitantes, para realizar um passeio com mais tranquilidade.

* para consultar a programação completa acesse: http://bit.ly/2aX2AWs


Outono e Inverno

Se sua intenção é aproveitar o local com mais calma, em um ritmo mais tranquilo, sem um grande acúmulo de pessoas, é aconselhável que você vá durante o outono ou inverno.

No outono, os jardins de Versalhes também ficam maravilhosos, com as árvores e o solo repletos de flores em tons de vermelho e laranja, bem típicos da estação. Um colorido encantador.

Gosta de frio? Então o inverno é a estação perfeita para você! Com temperaturas em torno de 4 graus, você não verá a cor das flores e nem folhas vistosas, mas a paisagem continua grandiosa e espetacular. Além disso, se você der sorte, as temperaturas podem cair um pouco mais e a neve aparecer para dar um toque mais do que especial à paisagem.

Atenção: como este é um período de menor movimento em Versalhes, pode ser que alguma área esteja fechada para manutenção ou reforma.


QUANTO TEMPO RESERVAR?

Se você quiser conhecer tudo em detalhes, o Palácio de Versalhes, o parque e jardins, o Grand Trianon e os Domínios de Maria Antonieta, lembre-se de se programar para reservar o dia todo para isso. Assim, você poderá aproveitar bem o seu passeio. Já se você quiser apenas visitar o castelo e os jardins, meio período é suficiente.


DICAS IMPORTANTES:

- Utilize o audioguia (ele está incluso na maioria dos ingressos)! Se você gosta de saber a história do local que está visitando, ele será como uma aula magnífica e repleta de minuciosos detalhes. Disponível em 11 idiomas, inclusive o português, ele explica em detalhes tudo o que acontecia na época.

- Realize a compra dos ingressos antecipadamente se você não quiser perder um bom tempo na fila, principalmente na alta temporada. É possível adquirir os ingressos no site oficial do castelo ou com uma empresa (a Elite Turismo, por exemplo, oferece esse serviço).


PRONTO?

Bom, agora você já sabe os motivos que fazem com que Versalhes faça tanto sucesso com o público, então é só escolher o melhor período para visitar e se planejar para isso, porque uma coisa é certa: vale muito apena conhecer e voltar sempre que possível, pois cada visita é uma experiência encantadora e inigualável!

Já definiu quando ir e quem vai com você? Então fale com a Elite Turismo e contrate o pacote completo para visitar Versalhes: transporte ida e volta com muito conforto em carro de luxo, ingressos antecipados para você não perder tempo na fila e audioguia para conhecer a história de cada cantinho que visitará ao longo do passeio.


INFORMAÇÕES GERAIS

Endereço: Place d'Armes, 78000 Versailles, França

Preços: Adultos: 18 euros (passaporte combinando acesso ao palácio, jardins e propriedades de Maria Antonieta - os Trianons); 15 euros (somente palácio e jardins) e 10 euros (somente propriedades de Maria Antonieta – os Trianons). Grátis para menores de 18 anos, crianças em idade escolar, deficientes físicos e seus acompanhantes adultos – para estes casos, ao chegar no palácio você pode ir diretamente à entrada principal com seus documentos.


Horário de funcionamento:

- Baixa temporada (01/11 a 31/03)

  •  Palácio: aberto de terça a domingo, das 9h às 17h30.
  •  Trianon e Domínio de Maria Antonieta: aberto de terça a domingo, das 12h às 17h30.
  • Jardins: aberto todos os dias, das 8h às 18h.


- Alta temporada (01/04 a 31/10)

  •  Palácio: aberto de terça a domingo (exceto 01 de maio), das 9h às 18h30.
  •  Trianon e Domínio de Maria Antonieta: aberto de terça a domingo, das 12h às 18h30.
  • Jardins: aberto todos os dias, das 8h às 20h30 (aos sábados e em alguns dias específicos fecham as 17h30 para os shows noturnos).


DATA: 11/08/2016

Deixe um comentário